Hubble encontra energia escura nos primórdios do Universo

Cientistas utilizando o Telescópio Espacial Hubble descobriram que a energia escura, a misteriosa influência que acelera a expansão do Universo, não é uma propriedade recente do espaço, mas esteve presente durante a maior parte da história universal. A partir de imagens feitas pelo Hubble de estrelas extremamente antigas, os pesquisadores concluíram que a energia escura já vinha impulsionando a taxa de expansão do cosmo há, pelo menos, nove bilhões de anos atrás. Essa descoberta é consistente com a interpretação oferecida por Albert Einstein, há quase 100 anos, de que uma forma de gravidade negativa emanaria do próprio espaço vazio.O achado do Hubble permitirá que os cientistas comecem a eliminar algumas hipóteses sobre a natureza da energia escura apresentadas até agora.Para estudar o comportamento da energia escura no passado, o Hubble se voltou para a observação de supernovas extremamente distantes. Supernovas são estrelas vistas em seu momento de brilho mais intenso - o instante em que explodem. Como a luz viaja a uma velocidade finita, de 300.000 km/s, a luz que chega à Terra, vindo de supernovas longínquas, também vem do passado distante. As supernovas podem ser usadas para acompanhar a expansão do Universo, porque o brilho dessas estrelas é conhecido - assim, vendo a taxa com que perdem luminosidade, é possível calcular a velocidade com que se afastam de nós. Einstein concebeu a noção de uma força repulsiva no espaço para contrabalançar o Universo contra o poder atrativo da gravidade que, ele imaginou, acabaria fazendo com que toda a matéria se concentrasse num único ponto.Com a descoberta da expansão do Universo e a formulação da teoria do Big Bang, essa "constante cosmológica" se transformou numa mera curiosidade histórica até que, em 1998, cientistas detectaram que a expansão estava acelerando. A causa misteriosa dessa aceleração foi apelidada "energia escura".Nos últimos oito anos, os astrofísicos tentam determinar duas propriedades fundamentais da energia escura: sua intensidade e sua duração. As novas observações sugerem que a energia escura já atrapalhava a gravidade antes mesmo de começar a vencer o "cabo de guerra" com a atração da matéria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.