Humala diz que Brasil é sócio estratégico após reunião com Dilma

O presidente eleito do Peru, Ollanta Humala, foi recebido pela presidente Dilma Rousseff nesta quinta-feira em Brasília e declarou que o Brasil é um parceiro estratégico para o país andino.

REUTERS

09 Junho 2011 | 12h58

"O Brasil é um sócio estratégico, um sócio importante do Peru. Somos vizinhos e justamente... necessitamos fortalecer uma política de fronteiras, desenvolver a fronteira", disse Humala a jornalistas após o encontro com Dilma, no Palácio do Planalto.

O líder eleito peruano demonstrou preocupação com o narcotráfico e segurança na fronteira, "problema comum" aos dois países e disse que fortalecerá a relação com os Estados Unidos, principalmente no combate às drogas.

O Peru é o maior produtor de folha de coca do mundo.

"Temos que fortalecer a relação com os EUA, são um sócio importante do Peru. Temos que melhorar, por exemplo, o que é a cooperação na luta contra as drogas, respeitando obviamente a soberania nacional peruana", disse Humala, que deverá visitar o país norte-americano antes de sua posse, em 28 de julho.

Militar aposentado de 48 anos, o político de esquerda venceu por pequena margem o segundo turno das eleições presidenciais no domingo, derrotando a candidata conservadora Keiko Fujimori.

Em sua campanha, Humala destacou um plano para aumentar a inclusão social em um país que ainda tem um terço da população vivendo na pobreza.

Durante o encontro, os presidentes discutiram programas sociais brasileiros como o Brasil sem Miséria, o Prouni e o Bolsa Família, que poderão servir de exemplo ao Peru. Segundo Humala, o Brasil "é um "modelo bem-sucedido que aliou crescimento econômico e inclusão social".

A presidente Dilma deverá participar da cerimônia de posse de Humala em Lima.

(Reportagem de Hugo Bachega)

Mais conteúdo sobre:
POLITICADILMAHUMALA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.