Ibama aplica R$ 15 mi em multa em operação Boi Pirata

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreendeu um caminhão e emitiu mais de dez autos de infração, totalizando R$ 15 milhões em multas, durante a Operação Boi Pirata II, deflagrada hoje em Novo Progresso, sudoeste do Pará. Este é considerado o município de maior desmatamento do País. "A operação visa a coibir a atividade pecuária em áreas protegidas da região amazônica, tendo em vista os bons resultados da Operação Boi Pirata, de 2008", diz nota do Instituto.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

03 Agosto 2009 | 19h44

A primeira fase da operação começou em junho. Agora, a segunda fase conta com a colaboração de 115 funcionários do Ibama, da Polícia Militar estadual, da Força Aérea Brasileira (FAB), da Força Nacional de Segurança Pública, da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. De acordo com o documento, a área "alvo um" já está sob controle do Ibama, uma fazenda pecuarista avaliada como ilegal dentro de Unidade de Conservação Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim. A fazenda Mutum-acá, em Vila Isol, no distrito de Novo Progresso, foi autuada por causar dano direto, conforme o Ibama, à Unidade de Conservação, ao manter atividade agropecuária ilegal dentro da Flona.

Houve também apreensão de tratores de esteira, utilizados para ampliar o espaço para criação de gado. "No local eram criadas mais de três mil cabeças. O proprietário foi notificado a retirar todo seu plantel da área em sete dias, a contar do recebimento. Ao final do prazo, se ainda houver animais na área, eles serão recolhidos pelo Ibama, que os destinará aos programas sociais do Governo Federal", explicou o documento.

O instituto destaca também que, com área de 1,3 milhão de hectares de floresta primária e por seu grande potencial econômico, a Floresta Nacional do Jamanxim está com aproximadamente 11% de sua área desmatada, um total de 150 mil hectares. "A operação Boi Pirata II, por meio de seu trabalho de inteligência, já identificou posseiros e desmatadores dentro da Flona, principalmente no Ramal dos Goianos, que detém 60% da área desmatada."

Na nota, o Ibama explica ainda que todas as fazendas da região do Ramal dos Goianos serão vistoriadas. "Está sendo cumprido o Decreto 6.514/08, que dá poderes ao Ibama para apreender gado em área embargada por crime ambiental". A cidade de Novo Progresso já está ocupada por policiais da operação, segundo o instituto, para garantir a segurança da base operativa e a integridade física dos agentes ambientais federais envolvidos na operação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.