Ibama fecha 28 serrarias clandestinas no Acre

Vinte e oito, das 30 serrarias e marcenarias do Acre vistoriadas pelos fiscais do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), foram autuadas durante a Operação Desmonte, realizada pelo Escritório de Cruzeiro do Sul, na região do Vale do Juruá, oeste do Estado. Os fiscais lacraram as máquinas e paralisaram as atividades das fábricas por não apresentar a licença para operar e não comprovar a origem dos estoques de produtos florestais. Na maioria das cidades, todas as serrarias e marcenarias estavam irregulares e foram fechadas. Segundo o Ibama, foram apreendidas 545 tábuas, 400 pranchas e 89 vigas de várias espécies florestais, entre elas cedro, marfim, angelim, emburana, cumaru e outras, que terão destinação social, além de três caminhões. A operação contou com 15 servidores do Ibama e do Instituto do Meio ambiente do Acre (Imac), apoiados pela Polícia Militar do Acre, que fiscalizaram estabelecimentos dos municípios de Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Tarauacá, Feijó, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, no Acre e em Guajará, no Amazonas, desde o dia 16 de abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.