IBGE pode ajustar dados de IPCA-15 após alteração em metodologia

Após alterar a metodologia para o cálculo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) de agosto por conta da falta de dados provocada por uma greve de servidores, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que pode realizar um ajuste mais à frente se houver necessidade.

Reuters

22 de agosto de 2012 | 14h13

Segundo a economista do IBGE Eulina Nunes dos Santos, se for observado que as projeções utilizadas para o cálculo de alguns itens foram sub ou superestimadas, o órgão fará correções.

"Se ocorrer isso podemos diluir a diferença para mais ou para menos até o fim do ano, de forma a não dar nenhuma diferença no fechamento do ano", explicou ela.

O IBGE informou que, no grupo Despesas pessoais, os itens empregado doméstico e mão-de-obra para pequenos reparos tiveram uma diferença na metodologia de cálculo, devido à falta de dados da Pesquisa Mensal de Emprego referente a junho para o Rio de Janeiro.

Assim, para a região foram utilizados os últimos rendimentos disponíveis, no caso os de maio, para estimar a tendência da série de rendimentos em agosto.

O IPCA-15 subiu 0,39 por cento em agosto, ante alta de 0,33 por cento em julho, um pouco acima do esperado pelo mercado.

Está marcada para esta quinta-feira a divulgação dos dados sobre o desemprego de julho, e a direção do IBGE afirma que estão sendo feitos todos os esforços para que possa ser anunciada a taxa média do país, sem restrições como aconteceu no último mês.

Entretanto, líderes do movimento grevista afirmam que mais uma vez houve prejuízo na coleta de dados e não está eliminada a possibilidade de se repita o que foi visto no mês passado.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Mais conteúdo sobre:
MACROIPCAMETODOLOGIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.