Ibovespa beira 66 mil pontos, com Petrobras e Redecard

A Bovespa teve a sexta alta seguida, em meio ao comportamento positivo das ações da Petrobras e da Redecard, e com investidores renovando as esperanças por um acordo na Grécia.

ROBERTA VILAS BOAS, REUTERS

07 de fevereiro de 2012 | 18h48

O Ibovespa subiu 1,06 por cento, a 65.917 pontos. O giro financeiro da sessão foi de 7,96 bilhões de reais.

Em Nova York, o índice Dow Jones tinha ganhos de 0,4 por cento, enquanto o S&P 500 valorizava 0,3 por cento, às 18h26 (horário de Brasília).

Durante o dia, a bolsa operou volátil, influenciada pelas preocupações com a Grécia, movimento no entanto amortecido por Redecard, que disparou após o anúncio de que o Itaú Unibanco fará uma oferta pública para adquirir as ações da empresa de meios de pagamento.

O papel da empresa subiu 10,49 por cento, a 35,40 reais. Itaú teve ganhos de 0,94 por cento, a 36,40 reais, após o banco ter também reportado seus resultados do quarto trimestre. Cielo foi no embalo de Redecard, e valorizou 4,22 por cento, a 56,25 reais.

À tarde, o Ibovespa conseguiu se firmar com melhores expectativas de que a Grécia e seus credores fechem um acordo sobre a dívida do país, e também com a subida de Petrobras.

A preferencial da estatal subiu 2,98 por cento, a 25,60 reais, enquanto a ordinária ganhou 2,1 por cento, a 27,75 reais. O presidente da empresa, José Sergio Gabrielli, afirmou nesta terça que a produção de petróleo em 2012 deverá superar a de 2011.

De acordo com uma autoridade do governo grego, o país estava preparando o texto de um acordo sobre o resgate que precisa ser aprovado por líderes políticos do país, sugerindo que Atenas estava bastante avançada nas negociações com credores sobre o resgate.

"A bolsa continuou firme, com fluxo estrangeiro muito positivo para o Brasil. O anúncio de OPA da Redecard e a alta do papel deu um ânimo ao mercado", afirmou o analista da Stock Asset, José Góes.

Além de Petrobras, outra blue chip, a preferencial da Vale subiu 0,11 por cento, a 43,97 reais.

MRV teve a maior queda do Ibovespa, de 2,07 por cento, a 14,19 reais.

Fora do índice, Triunfo despencou 10 por cento, a 7,65 reais, dando sequência à queda da véspera, após a companhia ter vencido a disputa pelo aeroporto de Viracopos (SP), juntamente com a francesa Egis Airport, no leilão ocorrido na BM&FBovespa.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.