Ibovespa sobe 1,3% após declarações de Bernanke

A Bovespa fechou esta segunda-feira em alta, recuperando-se de parte das perdas da semana passada, após o chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, indicar que manterá a política monetária flexível, mesmo com a melhora da taxa de desemprego dos EUA.

ROBERTA VILAS BOAS, REUTERS

26 Março 2012 | 17h42

O Ibovespa subiu 1,32 por cento, a 66.684 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 5,19 bilhões de reais.

Em Nova York, o índice Dow Jones subiu 1,23 por cento, e o Standard & Poor's 500 ganhou 1,39 por cento.

"O que puxou o sentimento do mercado foram os comentários do Bernanke. Na Europa também teve dados bons e declarações da Merkel, mas o destaque mesmo foi o Bernanke", disse o operador da corretora Hencorp Commcor Rafael Dornaus.

O presidente do banco central dos EUA sugeriu que a instituição manterá as políticas monetárias de apoio, apesar da melhora no nível de desemprego.

Na Alemanha, o sentimento empresarial mostrou alta inesperada em março, enquanto a chanceler do país, Angela Merkel, afirmou que está disposta a permitir que os 200 bilhões de euros já comprometidos pelo fundo de resgate temporário do bloco sejam usados em paralelo com os 500 bilhões de euros de seu sucessor permanente.

Dornaus disse que alta das ações da Petrobras ajudou. No domingo, o jornal Folha de S. Paulo publicou entrevista com a presidente da empresa, Maria das Graças Foster, afirmando que a estatal terá que aumentar os preços dos combustíveis caso o Brent fique em 120 dólares o barril por muito tempo.

A ação preferencial da empresa subiu 2,15 por cento, a 24,21 reais, enquanto a ordinária ganhou 2,29 por cento, a 24,98 reais.

Já a preferencial da Vale ganhou 1,21 por cento, a 41,00 reais.

À maior alta do índice, porém, ficou com Marfrig, com valorização de 5,25 por cento, a 11,23 reais. A empresa teve prejuízo líquido de 138,6 milhões de reais no quarto trimestre de 2011, mas a receita operacional líquida consolidada foi recorde, totalizando 5,79 bilhões de reais.

MMX subiu 5,03 por cento, a 9,40 reais. Pela manhã, o grupo EBX, holding do empresário Eike Batista que controla a MMX, informou que receberá um investimento de 2 bilhões de dólares da Mubadala, empresa de desenvolvimento e investimento estratégico de Abu-Dhabi, nos Emirados Árabes.

Na outra ponta, Gol teve queda, de 3,76 por cento, a 12,81 reais. O Credit Suisse reduziu a recomendação para o papel, de "neutra" para "underperform" (quando espera que o papel terá um desempenho abaixo da média do mercado).

(Edição de Aluísio Alves)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.