Identificado acusado de atirar contra escolta no RJ

A Divisão de Homicídios (DH) do Rio de Janeiro identificou um dos suspeitos de atirar contra dois policiais militares na manhã da quinta-feira, 1, na Ilha do Governador, no Rio. Os policiais faziam a escolta do vice-presidente do Tribunal de Contas do município do Rio de Janeiro, José de Moraes. Na ocasião, um policial morreu e outro ficou ferido.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

02 Março 2012 | 12h44

A polícia já pediu a prisão temporária de Rodrigo da Silva Santos, o "Moranguinho", morador da Ilha do Governador. "Moranguinho" possui seis mandados de prisão pendente pelos crimes de latrocínio e roubo.

O crime ocorreu na Rua Etelvino dos Santos, quando Rodrigo e outros dois criminosos tentaram roubar a motocicleta de um dos policiais da escolta do vice-presidente. O sargento Antônio Carlos Batista Martins morreu e o cabo Eric Pereira ficou ferido sem gravidade.

Os dois trabalhavam oficialmente pelo Batalhão de Polícia de Choque (BP-Choque) para garantir a segurança da família do vice-presidente, solicitada à Polícia Militar pela presidência do TCM, devido a episódio recente envolvendo a família do conselheiro.

Segundo a PM, os bandidos estavam em um veículo Fox e seguiram o sargento Antonio Carlos com o objetivo de roubar a moto em que ele se dirigia ao prédio em que reside o conselheiro Moraes. Quando o sargento parou para estacionar, foi abordado e reagiu. Os bandidos, em maior número, dispararam, acertando gravemente o sargento, que ainda foi socorrido, levado para o Hospital da Base Aérea do Galeão, mas não resistiu.

O cabo Eric foi ferido quando, ao ouvir os tiros, saiu do prédio para prestar socorro ao sargento. De acordo com a PM, nenhum familiar do conselheiro foi ferido.

Mais conteúdo sobre:
crimesegurançasRJamplia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.