IDH de negros no Brasil fica 44 posições abaixo do de brancos

Nos últimos dez anos, o Índice de Desenvolvimento Humano dos negros vem subindo mais rapidamente, diz UFRJ

da Redação,

10 Novembro 2008 | 17h11

Em 2005, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da população negra brasileira era de 0,753, equivalente a uma posição entre a do Irã e do Paraguai no ranking de qualidade de vida da ONU, ou a 95° posição da escala mundial. Já o IDH dos brancos - 0,838 - correspondia ao de Cuba, na 51° posição.    O IDH dos países do mundo  Íntegra do relatório da UFRJ  Desigualdade racial ainda é grande, mas diminui   Esses número aparecem no Relatório das Desigualdades raciais, divulgado nesta segunda-feira, 10, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).   O IDH é um índice usado pelas Nações Unidas para medira qualidade de vida das populações, e leva em conta indicadores econômicos, de saúde e educação. O maior IDH do mundo é o da Islândia: 0,968. O menor é o do Níger: 0,374.   A posição do IDH dos negros, segundo o relatório, corresponde à de um país de desenvolvimento médio, 25 posições abaixo da do Brasil no ranking da ONU. Já os brancos têm um IDH de alto desenvolvimento, 19 posições acima da brasileira.   O trabalho da UFRJ destaca, porém, que de 1995 a 2005, os IDHs tanto de brancos quanto de negros, cresceram, ainda que em ritmos diferenciados, reduzindo a margem entre os grupos. Nesse intervalo de dez anos, o IDH do grupo branco, no Brasil, cresceu 4,8% e o dos negros, 10,7%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.