Iêmen nomeia líder da oposição como primeiro-ministro

O vice-presidente do Iêmen nomeou neste domingo o líder da oposição Mohammed Basindwa como o novo primeiro-ministro interino, informou a agência de notícias estatal Saba, sob um acordo para encerrar meses de protestos que abalaram o país.

REUTERS

27 de novembro de 2011 | 18h29

Se o acordo for cumprido seguindo com o planejado, o presidente Ali Abdullah Saleh vai se tornar o quarto governante árabe derrubado por revoltas populares que estão remodelando o cenário político do Oriente Médio e norte da África.

O vice-presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi nomeou Basindwa em um decreto divulgado pela agência Saba. O anúncio aconteceu depois que na sexta-feira partidos da oposição escolheram Basindwa, chefe de uma aliança que liderou meses de protestos contra Saleh, para formar um novo governo.

"Um decreto presidencial publicado hoje... determina Mohammed Salem Basindwa para formar um governo de unidade nacional", disse a Saba.

Basindwa, que foi ministro das Relações Exteriores entre 1993-1994, tem a missão de formar o novo governo sob o acordo assinado em Riad na última quarta-feira, quando Saleh transferiu os poderes para seu vice para resolver a crise resultante de 10 meses de manifestações pró-democracia.

Saleh voltou para casa no sábado após a assinatura do acordo com a oposição que vai encerrar seus 33 anos no cargo.

No sábado, Hadi marcou eleições presidenciais para 21 de fevereiro.

Sob o acordo patrocinado pelo Golfo, Saleh terá imunidade e vai manter seu título até que um novo presidente seja eleito.

Centenas de pessoas foram mortas durante meses de protestos anti-Saleh.

(Reportagem de Sami Aboudi em Dubai)

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENPREMIENOVO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.