IGP-10 tem a 1ª deflação em 16 anos da série

Índice da FGV cai 1,68% este ano, ante alta de 10,27% em 2008

Alessandra Saraiva, RIO, O Estadao de S.Paulo

18 Dezembro 2009 | 00h00

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) teve em 2009 a primeira deflação anual da série histórica, iniciada em 1993. O indicador deste ano caiu 1,68%, resultado muito distante da alta de 10,27% do ano passado. A taxa de dezembro, que caiu 0,07% influenciada por fortes quedas de preços no atacado, neutralizou o aumento de 0,07% de novembro.

Para o coordenador de Análises Econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros, o IGP-10 negativo prenuncia deflações que também devem ser apuradas nos outros IGPs - Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) e Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M). "Neste momento, não há a menor dúvida de que estes IGPs também vão encerrar o ano em deflação", comentou.

Os índices de 2009 devem contribuir para uma contenção de alta dos preços administrados, como taxas de água e de luz, no ano que vem. Embora não sejam mais indexadores plenos, esses indicadores ainda são usados nas bases de cálculo.

Quadros acrescentou que, para 2010, a meta inflacionária de 4,5% é factível. "Não temos razão para temer uma explosão inflacionária." Para ele, não há motivos para elevação na taxa básica de juros (Selic).

Mas descartou a possibilidade de a taxa negativa apurada em dezembro possa representar o início de um novo ciclo de deflação. "Não há razão macroeconômica para um retorno de tendência. A deflação que ocorreu em meados deste ano foi causada basicamente por um ambiente recessivo."

Em dezembro, as quedas de preço foram concentradas no atacado: recuo de 0,25%, após subir 0,08% em novembro.

O atacado também fechou o ano com taxa negativa, de 4,36%, após subir 11,49% em 2008. Quadros lembrou que, de uma maneira geral, os preços das commodities industriais este ano subiram menos e até caíram por causa do recuo da demanda internacional.

Já a inflação do varejo avançou de novembro para dezembro (de 0,02% para 0,28%) e subiu 4,10% em 2009, após aumento de 6,05% em 2008. Na construção civil, os preços também aceleraram (0,11% para 0,25%) e avançaram 3,30% em 2009.

SÃO PAULO

A FGV também informou a inflação do varejo medida pelo Índice de Preços ao Consumidor-Semanal (IPC-S) em sete capitais. São Paulo mostrou inflação mais fraca entre a primeira e a segunda semana de dezembro (de 0,48% para 0,21%), beneficiada por alimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.