IGP-M de 12 meses chega a -1,31%

Acumulado é o mais baixo da série, iniciada em 1989

Flávio Leonel, O Estadao de S.Paulo

30 Outubro 2009 | 00h00

A taxa negativa de 1,31% acumulada em 12 meses pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) em outubro é a mais baixa da série histórica do indicador da Fundação Getúlio Vargas (FGV), iniciada em 1989. A informação é do coordenador de Análises Econômicas da instituição, Salomão Quadros.

Segundo ele, o IGP-M acumulado em 12 meses mais baixo antes do divulgado ontem pela FGV era o de 0,92%, de abril de 2006. Quadros destacou que, além de bater essa marca, o indicador de 12 meses ampliou uma sequência de deflação que vem sendo observada desde julho, quando a taxa foi de -0,67%. Em agosto, a deflação nesta base de comparação foi de 0,71% e, em setembro, de 0,40%.

Outro destaque do coordenador na medição de 12 meses é o comportamento do Índice de Preços por Atacado (IPA), que representa 60% do IGP-M. De acordo com Quadros, a taxa negativa de 4,13% deste subíndice também é a menor da série histórica do IGP-M. Ontem, a FGV divulgou que o IGP-M mensal de outubro variou 0,05%. O resultado ficou abaixo do observado em setembro, quando a taxa foi de 0,42%.

Quadros reiterou que a baixa taxa de 0,05% do IGP-M em outubro confirmou a tendência esperada por ele de que o mais provável é o indicador caminhar para uma deflação acumulada em 2009. Se a previsão de Quadros for confirmada, será a primeira vez que o índice de inflação criado em 1989 encerrará um ano em declínio.

"São grandes as chances de termos não só pela primeira vez na história um IGP-M em deflação, como também o próprio IGP-DI, que tem 65 anos, negativo", afirmou, referindo-se também ao indicador mais antigo da instituição, que tem período de coleta diferente do IGP-M, mas composição idêntica.

De acordo com ele, apesar da expectativa natural de que as taxas do IGP-M de novembro e dezembro sejam um pouco mais altas, dificilmente elas serão capazes de puxar a taxa acumulada de 2009 (de -1,57% até outubro) para o terreno positivo.

O coordenador lembrou que a taxa de 12 meses em novembro de 2009 expurgará do cálculo a variação de 0,38% registrada pelo IGP-M de novembro do ano passado. Já que a tendência, segundo ele, é uma taxa positiva, mas em um nível baixo para o próximo mês, o resultado acumulado negativo tende a mudar pouco.

Para dezembro, que definirá a taxa acumulada do ano, a história poderá ser um pouco diferente, já que neste mesmo mês do ano passado houve uma deflação de 0,13%. Quadros, porém, afirmou que, mesmo com uma taxa de alta esperada para o último mês de 2009, não há risco de o IGP-M deixar de apresentar pela primeira vez em sua história um resultado acumulado negativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.