Igreja britânica retira crucifixo que 'assustava crianças'

Escultura de 3 metros 'mostrava dor e afastava pessoas', diz pastor

Da BBC Brasil, BBC

08 Janeiro 2009 | 09h21

Uma grande escultura de Cristo na cruz foi retirada do lado de fora de uma igreja na Grã-Bretanha porque o crucifixo, segundo o vigário, "assustava as crianças". A escultura pertence à igreja de St. John, em Broadbridge Heath, no condado de West Sussex, e deverá ser entregue ao museu Horsham para ser substituída por uma nova cruz de aço inoxidável. O vigário, o pastor Ewen Souter, afirmou que o crucifixo de mais de três metros de altura era uma "descrição horrenda da dor e do sofrimento que estava 'afastando as pessoas'". Uma pesquisa feita pela igreja junto aos fiéis revelou que ninguém gostava do crucifixo. Crianças "Crianças comentaram como (o crucifixo) era assustador e como aquele símbolo do lado de fora da igreja afastava as pessoas", afirmou o pastor Ewen Souter. "Como um importante símbolo exterior para nós, estava afastando as pessoas ao invés de dar um sentimento de esperança e vida e do poder da ressurreição", acrescentou. O pastor afirmou que a igreja queria retratar "um retrato bíblico exato da crucificação como um momento de esperança para o mundo, e não de desespero". A escultura foi criada na década de 60 pelo ex-presidente da Sociedade Real dos Escultores Britânicos, Edward Bainbridge Copnall, feita de resina e pó de carvão. A escultura foi retirada da igreja pouco antes do Natal e será colocada em uma grande parede dentro do museu Horsham. Jeremy Knight, curador do museu, afirmou que a imagem do crucifixo mostra um Cristo sofrendo de dor. "Hoje esta não é uma imagem que muitas igrejas querem seguir. Eles preferem ver uma cruz vazia, na qual o Cristo já subiu aos céus", afirmou.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.