Iídiche ma(da)me vai para a cozinha em Pessach

A americana radicada no Brasil Pessy Gansburg é professora de culinária judaica no Instituto Centro Novo Horizonte, em São Paulo. Está sempre na cozinha. Sua facilidade para simplificar receitas e acrescentar toques pessoais aos pratos acabou gerando o livro Pessach (Ed. Novo Horizonte), lançado no ano passado. Casada com o rabino Noach Gansburg, ela mantém as tradições da celebração de Pessach, que começaram na noite de ontem com a ceia chamada Seder, e continuam nos próximos seis dias. Para esse período em que não se come nenhum alimento que fermente, como trigo, aveia e cevada, ou inche (cresça), como arroz e feijão, pois eles simbolizam orgulho e ostentação, Pessy costuma adaptar receitas e reeditar pratos tradicionais. Veja também: Receita de guefilte fish tricolor Receita de bolinhas de charosset Receita de macarons de chocolate Nesta página ela apresenta dois clássicos que prepara de maneira muito particular. O charosset, uma combinação de uva passa, amêndoas e maçã, foi transformado em bolinhas. "A cor de tijolo desse doce remete ao período de escravidão do povo judeu no Egito", explica. A outra invenção é bem prática: em vez de fazer o guefilte fish, ela sugere comprar pronto. Mas esse é só o primeiro passo do preparo que vai transformar o guefilte fish numa terrine colorida e saborosa, como mostra a receita. Para acompanhar o café ou o chá, a iídiche madame sugere macarons de chocolate "São uma delícia e não levam fermento", avisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.