Imagem divulgada de criança pode gerar processo

O advogado da família de Gabriella Nichimura, adolescente que morreu após cair de um brinquedo do parque de diversões Hopi Hari, em Vinhedo (SP), quer que a polícia investigue a divulgação de imagens do corpo da menina de 14 anos após o acidente. Ademar Gomes registrou um boletim de ocorrência no 78º Distrito Policial (Jardins).

EQUIPE AE, Agência Estado

08 Março 2012 | 16h13

De acordo com o advogado, "pessoas inescrupulosas" que tiveram acesso ao corpo de Gabriella divulgaram as fotos em sites causando "constrangimento e transtorno" aos parentes da adolescente. Gomes quer que os responsáveis sejam identificados para responder civil e criminalmente.

Imagens de Gabriella caída ao lado da atração La Tour Eiffel começaram a aparecer em redes sociais nesta semana. Em seu perfil no Facebook, a mãe da menina, Silmara Nichimura, fez um apelo e pediu para que as pessoas não compartilhassem. "Há pessoas muito más que gostam de tirar proveito do sofrimento alheio (...) Não suportaria ver novamente". Gabriella morreu no dia 24 de fevereiro após se sentar numa cadeira do brinquedo que deveria estar interditada no parque. A polícia investiga os responsáveis pelo acidente.

Mais conteúdo sobre:
Hopi Harifotoadvogado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.