Imigrantes terá primeiro parque com selo ambiental

O Parque Ecológico Imigrantes, que começa a ser implementado às margens da Rodovia Imigrantes, em São Paulo, será o primeiro parque com certificação ambiental no País. O parque será construído de acordo com as normas do processo Aqua, desenvolvido pela Fundação Vanzolini, ligada à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

AFRA BALAZINA e ANDREA VIALLI, com AGÊNCIAS, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2010 | 00h00

O projeto vem sendo idealizado há três anos pela Fundação Kunito Myasaka, entidade privada sem fins lucrativos que cuidará da gestão do parque. A pedra fundamental, que marca o início da construção, será inaugurada no dia 24. O parque vai abranger uma área de 484 mil metros quadrados de Mata Atlântica preservada.

O projeto prevê restauração e manutenção do ecossistema local com reposição de vegetação nativa, recuperação de áreas degradadas e berçário de espécies nativas, entre outras medidas.

Além de criar uma área de preservação ambiental, o objetivo da fundação é tornar o parque um centro de referência mundial para pesquisa sobre fauna e flora do bioma. No projeto arquitetônico, que seguirá os critérios da construção sustentável, estão previstas três células de apoio aos visitantes, com biblioteca e centro de educação ambiental, além de trilhas e passarelas para os visitantes.

BACALHAU

Peixe está ameaçado no Mar do Norte

A Comissão Europeia afirmou, na quinta-feira, que os estoques de bacalhau no Mar do Norte caíram ainda mais nos últimos dois anos e não mostram sinais de recuperação em outros pontos do Atlântico. A CE pede que a pesca do bacalhau seja cortada em até 50% e afirma que a atividade predatória no litoral dos Estados Unidos prejudicou quase 75% de todas as espécies pescadas. A Comissária de Pesca da União Europeia, Maria Damanaki, disse que as nações costeiras não devem considerar apenas seus interesses a curto prazo, mas aceitar o conselho dos cientistas, que há anos pedem por limites de pesca mais rígidos. "Decisões baseadas na ciência são a única maneira", disse. / AP

OLIMPÍADAS 2012

Região que abrigará jogos está poluída

O governo britânico vai gastar cerca de R$ 36 milhões para realizar a descontaminação de parte da área em Londres que vai sediar os Jogos Olímpicos de 2012. A região, no leste da capital britânica, foi no passado um depósito de produtos químicos, segundo o Guardian. A despoluição da área será mais custosa que o previsto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.