Imperatriz Leopoldinense 'brincará' com Corte portuguesa

Escola também fala sobre o bicentenário da vinda da Família Real e tem Luiza Brunet como madrinha da bateria

ANA LUISA WESTPHALEN, Agencia Estado

04 de fevereiro de 2008 | 12h04

A Imperatriz Leopoldinense irá à Marquês de Sapucaí, no Rio, com um samba simples sobre um dos capítulos mais importantes da história brasileira, o bicentenário da vinda da Família Real portuguesa para o Brasil. Será a terceira agremiação a abordar o mesmo tema no carnaval carioca, depois da São Clemente, que abriu os desfiles, na noite de domingo, e da Mocidade Independente, que inaugura o segundo dia, nesta segunda, 4. A carnavalesca Rosa Magalhães decidiu abordar mais especificamente algumas personagens: "Lendo a história, eu vi que só tinha Marias. D. João (VI) é um só e teve a Maria Antonieta; a mãe dele, d. Maria, a Louca; mais seis filhas Marias e Maria Leopoldina, que casou com seu filho Pedro, virou imperatriz e deu o nome a nossa escola." Para que esta passagem caia na boca do povo, Rosa promete apresentar um desfile claro e "o mais simples possível".   Mangueira e Viradouro empolgam na 1ª noite Saiba como foram os desfiles em SP no 2º dia Saiba como foram os desfiles em SP no 1º dia Veja as melhores imagens dos desfiles em SP Qual escola de samba será campeã em SP?  Qual escola de samba será campeã no Rio?  Tudo sobre as escolas do Rio e os sambas  As melhores imagens do Carnaval pelo Brasil      Sobre a apresentação da Imperatriz Leopoldinense no Sambódromo, Rosa prefere guardar segredo. A carnavalesca só diz que o samba-enredo João e Marias é animado e que todos na comunidade já cantam. "As surpresinhas do desfile é melhor ver na hora." Os desfiles de Rosa são conhecidos como "tecnicamente impecáveis", e ela conquistou cinco títulos pela escola de samba. A agremiação carioca é a única que tirou nota máxima em todos os quesitos por três vezes (em 1980, 1989 e 2001).A bateria da Imperatriz tem, novamente, como madrinha a ex-modelo Luiza Brunet, que assumiu o posto por 11 anos, estava afastada desde 2006, mas este ano volta a representar a escola. Fundada em 1959, o primeiro ano como escola de samba foi em 1989. A escola do bairro de Ramos promete levar 3 mil integrantes à passarela do samba, em 34 alas, e ainda sete carros alegóricos. O intérprete oficial é Preto Jóia e os autores do samba-enredo são Josimar, Di Andrade, Valtencir, Carlos Kind e Jorge Arthur. O cantor Elimar Santos, o jornalista Leão Lobo e o ator Felipe Mattos irão como destaques da agremiação, que conquistou o 9º lugar em 2007. A Imperatriz foi campeã do Grupo Especial, além de 1980, 1981 e 1989, também em 1994, 1995, 1999, 2000 e 2001. Terceira a desfilar, a previsão de entrada é às 23h10 desta segunda.   Confira o samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense:João e MariasMaria uma princesaTambém sonhavaUm dia um príncipe encontrarE ouviu do rei de FrançaEm meio ao luxo e à bonançaMaria Antonieta tu serásEm Portugal, outra rainha, dona MariaA Louca não podia governarDelirava temendo a revoluçãoE entrega o reino a JoãoRegente assim se fez, e o imperador francêsOrdena a invasão Ou ficam todosOu todos se vãoEmbarcar nessa aventura"E au revoir" Napoleão Cruzaram maresChegaram ao BrasilSão novos ares, progresso e a transformaçãoVieram as Marias, toda fidalguia, dom JoãoO tempo passou, irão se casarDuas Marias da mesma raizLuisa com NapoleãoE Leopoldina será nossa imperatrizSerá também nome de tremQue passa em Ramos a nossa estaçãoOnde imperam Marias e Joãos Vem brincar nesse trem amorQue vai parar na estação do coraçãoFaz brilhar no céu ImperatrizAs onze estrelas do teu pavilhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.