Imprensa internacional destaca caos provocado pela chuva no Rio

Jornais de vários países comentam o transtorno causado pelas chuvas, que pegaram despreparadas as autoridades.

BBC Brasil, BBC

07 de abril de 2010 | 05h24

A imprensa internacional destacou nesta quarta-feira a confusão e o caos provocados pelas intensas chuvas no Estado do Rio de Janeiro, que deixaram quase cem mortos nos últimos dias.

A chuva "converteu a cidade em um verdadeiro caos", diz o diário espanhol El País, que contou que bombeiros estavam resgatando passageiros presos em ônibus com botes, e que "até surfistas, pelo preço de dois reais, ajudam os passageiros a atravessar em suas pranchas as ruas, que foram convertidas em rios".

Em outra reportagem, o El País destaca os cortes de luz na cidade, "aumentando a sensação de desgoverno e caos".

Também na Espanha, o El Mundo relata as dificuldades de se transitar pela cidade, descrevendo uma volta de táxi por vários bairros.

"Até o centro, ainda sobram restos do 'tsunami' urbano que, horas antes, chegou a deixar a Praça da Bandeira praticamente submersa. 'Quando passei por aqui de madrugada, essa praça era um mar', disse o taxista."

O diário inglês The Times diz que as autoridades reconhecem que não estavam preparadas para lidar com"as chuvas mais intensas em meio século que transformaram as ruas em rios, provocando enchentes e deslizamentos de terra", citando declarações do prefeito Eduardo Paes, de que a cidade não estava preparada para a tempestade.

"O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou as décadas de falhas administrativas que permitiram a construção de casas precárias em zonas de alto risco nas favelas da cidade", diz o jornal.

O Guardian também destacou declarações de Lula, que disse que os moradores deveriam rezar a Deus para que a chuva pare.

"Lula negou que as enchentes venham a causar problemas quando a cidade sediar as Olimpíadas de 2016. 'Não é por causa de uma catástrofe que isso vai acontecer o tempo todo, todos os dias', disse ele."

O também inglês Daily Telegraph comentou que os voos nos aeroportos da cidade "que vai sediar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 - foram cancelados ou sofreram atrasos, e muitos bairros ficaram sem energia ou transporte".

Na França, o Le Monde e o Liberátion destacaram o caos no Estado e o pedido do prefeito para que os moradores que não estão em áreas de risco fiquem em casa.

"As principais vias de acesso ao centro da cidade e vários túneis estão fechados por causa das inundações ou dos deslizamentos de terra", diz o Le Monde, destacando ainda o fechamento da ponte Rio-Niterói.

E nos Estados Unidos o New York Times destaca que, na terça-feira à noite, o Rio parecia "uma cidade fantasma".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.