Inadimplência do consumidor cai em setembro, mas aumenta no ano

O nível de inadimplência do consumidor brasileiro diminuiu 3 por cento em setembro contra o mês anterior, na primeira queda mensal após seis altas consecutivas, informou nesta sexta-feira a Serasa Experian.

REUTERS

14 Outubro 2011 | 08h59

Na comparação com o mesmo mês em 2010, o indicador também desacelerou, mas ainda registrou alta de 23,3 por cento. Nos nove meses até setembro, o índice de inadimplência acumula aumento de 23,4 por cento sobre igual período de 2010, mesmo patamar visto em agosto.

De acordo com os economistas da Serasa, a antecipação do 13o salário aos aposentados, a redução dos juros e o menor número de dias úteis ante agosto fizeram a inadimplência recuar em setembro.

"Também contribuiu para o declínio do índice a maior facilidade oferecida pelos credores ao consumidor para renegociar dívidas", acrescentou a empresa.

Em setembro, todas as modalidades da inadimplência contribuíram para a queda mensal. As dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços) caíram 3,3 por cento.

Os cheques sem fundos diminuíram 10,3 por cento e as dívidas com bancos tiveram queda de 0,9 por cento. Já os títulos protestados recuaram 13,9 por cento.

De janeiro a setembro, o valor médio das dívidas não bancárias caiu 14,8 por cento contra igual período do ano passado, enquanto os títulos protestados, cheques sem fundos e dívidas não honradas com bancos apresentaram alta de 14,9, 7,9 e 0,6 por cento, respectivamente.

(Por Vivian Pereira)

Mais conteúdo sobre:
EMPRESAS INADIMPLENCIA SETEMBRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.