Incêndio na Chapada está 'praticamente extinto', diz Ibama

Chefia do parque decidiu manter mobilização das brigadas pelo menos até o fim da semana

Tiago Décimo, de O Estado de S. Paulo,

20 Novembro 2008 | 19h18

Como previsto pelo Centro Estadual de Meteorologia da Bahia, a chuva chegou com força à Chapada Diamantina na noite desta quinta-feira, 20, e está ajudando a acabar com os incêndios que desde julho castigam a área de proteção ambiental. Segundo boletim do Centro Nacional de Combate a Incêndios Florestais (Prevfogo), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), os focos estão "praticamente extintos".       Veja também:   Novo foco de incêndio surge na Chapada Diamantina Pancada de chuva ameniza fogo na Chapada Diamantina Governo estadual garante ter controle na Chapada Diamantina Ministério envia 30 homens para combater fogo na Bahia Só chuva salva Chapada Diamantina do fogo, diz gestor Incêndio já atingiu metade do Parque da Chapada DiamantinaA chefia do parque nacional, porém, decidiu manter a mobilização das brigadas que trabalham na contenção do fogo pelo menos até o fim da semana. "Não conseguimos sobrevoar a área hoje por falta de condições de vôo, e só vamos acabar com os esforços de combate quando tivermos a certeza de que os focos de incêndio cessaram", afirmou o gestor do parque, Cezar Gonçalves, do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio).Gonçalves disse que existe o risco de extinção de que espécies endêmicas por causa dos incêndios, que atingiram mais da metade dos 152 mil hectares do parque nacional. De acordo com o secretário estadual do Meio Ambiente, Juliano Matos, apenas após a confirmação do fim dos focos de incêndio começará o trabalho de mapeamento dos estragos causados pelo fogo. "Nossos esforços estavam concentrados no combate às chamas", declarou. De acordo com o centro de meteorologia, chuvas fortes devem atingir a região da chapada pelo menos até o início da semana que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.