Incêndio no Butantan destrói coleção com 85 mil cobras

O incêndio que atingiu na manhã de hoje o laboratório de répteis do Instituto Butantan, na zona oeste de São Paulo, destruiu a maior coleção de cobras dos trópicos do mundo, com 85 mil exemplares. Amostras de aranhas e escorpiões também foram consumidas pelas chamas. O fogo parece ter sido causado por um curto-circuito, logo após a chave de luz ter sido religada.

HERTON ESCOBAR E BETH MOREIRA, Agência Estado

15 de maio de 2010 | 13h17

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o fogo, que se iniciou por volta das 7h35 da manhã, foi controlado cerca de uma hora e meia depois. Não há registro de vítimas. Dez carros de bombeiro e 50 homens foram designados para o combate às chamas no Butantan. Uma perícia será feita no local e a previsão é de que o resultado seja divulgado em 30 dias.

Tudo o que sabemos sobre:
incêncioSPInstituto Butantan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.