Incremente seu blog com o WordPress

Ferramenta traz diversos recursos exclusivos e deixa sua página com um visual muito mais bonito; veja como usar

Bruno Sayeg Garattoni,

04 de fevereiro de 2008 | 00h00

Responda rápido: o que a revista Time, a rede de televisão CNN, os jornais The New York Times e Le Monde, a montadora Ford e os principais blogueiros da web têm em comum? Todos usam o programa WordPress, que permite criar sites e blogs superincrementados. Isso porque o WordPress é aberto – qualquer pessoa pode criar plug-ins e temas que adicionam recursos e modificam o visual do blog. Ou seja: todos os dias surgem novidades bacanas que você pode acrescentar de graça ao seu blog. O WordPress deixa seus concorrentes, como o Blogger, comendo poeira. Por isso é o preferido entre os principais blogueiros do mundo."Entre os 100 melhores blogs no ranking Technorati (que aponta os blogs mais acessados e comentados da internet), a maioria usa WordPress. Ele é fácil de usar e muito atualizado", diz Augusto Campos, que adotou o WordPress em seu site, o Br-Linux.org. Mas afinal o que o WordPress tem de tão atraente? Para começar, o visual. Você já reparou que graficamente todos os blogs criados com o Blogger se parecem? É que ele oferece apenas 16 tipos de layout.Já com o WordPress é uma explosão de opções: só no site oficial há mais de 1.300 opções de layout que você pode baixar e usar no seu blog. E fazendo uma pesquisa no Google é possível encontrar vários outros portais especializados em WordPress, com centenas de layouts.Alguns dos temas são incrivelmente bonitos, com aparência sofisticada (veja um exemplo na foto abaixo). Anos-luz à frente do visual pobrinho do Blogger. Se mesmo assim você não ficar satisfeito, dá para ir além. O WordPress permite, é claro, personalizar o layout do blog (alterando o cabeçalho, o fundo e demais elementos gráficos da página).PLUG-INSEm recursos o WordPress também massacra os concorrentes. Quer colocar um podcast no seu blog? Que tal uma galeria de fotos? Ou então, quem sabe, uma área com "links patrocinados" do Google para ganhar um trocado? E, falando nisso, o seu blog está no índice do Google? O WordPress tem recursos exclusivos que ajudam a fazer todas essas coisas. Basta turbiná-lo com os chamados plug-ins, que podem ser baixados do site wordpress.org/extend/plugins. Há quase 1.500 plug-ins, com as mais variadas funções, disponíveis para download.Gostou e quer experimentar o WordPress? Vamos lá.POR ONDE COMEÇARExistem duas versões do WordPress. A mais simples delas, que você pode experimentar acessando o site wordpress.com, não tem segredo: é só criar uma conta, escolher o nome do seu blog e começar a escrever os posts. Simples.O único porém é que nessa versão o WordPress é limitado: você não consegue adicionar temas ou plug-ins (só pode usar o que já estiver instalado no servidor do wordpress.com).É uma opção interessante. Mesmo nessa versão, o WordPress é superior ao Blogger. Ele oferece bem mais opções de layout (são 66 temas), já vem com contador de visitas e permite agendar a publicação de posts – você deixa vários escritos, vai viajar e o WordPress atualiza automaticamente seu blog. Legal, não?De quebra, ele dá 3 GB de capacidade (o triplo do Blogger).A migração do Blogger para o WordPress é muito fácil. Basta acessar o WordPress, clicar em Gerenciar/Importar e fornecer a sua senha do Blogger. Todos os posts do seu blog serão importados automaticamente.VERSÃO TOPPara ter acesso a todos os recursos do WordPress e instalar os temas e plug-ins disponíveis na internet é preciso usar sua versão topo de linha, o WordPress "independente", que você baixa e instala num servidor. Soa complicado, né? Na prática é relativamente simples. Você precisa contratar um serviço de hospedagem, ou "host" – ele é pago, e custa de 5 a 10 dólares.Depois é só instalar o WordPress no host (mais fácil do que parece; veja o passo-a-passo no quadro ao lado). Essa opção é indicada para quem quer o máximo do máximo. Se você gosta muito de blogar, pode valer a pena... Confira a seguir os melhores recursos do WordPress.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.