Índice mostra que não houve diferença de aprendizagem

Dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2012 de 309 escolas de tempo integral do governo do Estado de São Paulo revelam que não houve diferença de aprendizagem entre alunos da rede normal e os que estavam no modelo até o ano passado. Os índices foram calculados pelo Estado e publicados em reportagem do dia 4 de janeiro.

O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2013 | 02h05

Nessas escolas, nos dois ciclos do ensino fundamental, as notas de matemática, apesar de serem mais altas, estão na mesma faixa na escala de proficiência. Assim, os alunos sabem a mesma coisa. No ciclo 1 (do 1º ao 5º ano), a média das 115 escolas avaliadas era de 218,6, distante do mínimo adequado, que é 225. Já nos anos finais (do 6º ao 9º), a média de matemática das 197 escolas avaliadas foi 248,2. O adequado é 300.

As escolas de ensino integral sofreram uma série de críticas desde que foram criadas, em 2006. Quando o projeto foi implementado, de uma vez em 500 escolas, algumas reclamações chegaram à Justiça. O modelo foi sendo enxugado com o passar dos anos e em 2012 eram 309 escolas. / P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.