Índios aceitam deixar prédio de antigo museu do Rio

O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), da Comissão de Direitos Humanos, informou por volta das 11 horas da manhã desta sexta-feira (22) que o impasse entre índios e PM estava próximo de um acordo. Segundo ele, os índios aceitaram a proposta do governo do Estado de serem levados para um terreno em Jacarepaguá, na zona oeste da cidade. Pouco depois das 11 horas eles redigiram documento concordando com a proposta oficial e só aguardavam a assinatura de um representante do governo do Estado para deixar o prédio.

MARCELO GOMES, Agência Estado

22 de março de 2013 | 11h38

Uma integrante do grupo feminista Femen foi detida por volta das 11 horas após tirar a camiseta e invadir a pista sentido centro da Avenida Radial Oeste, onde centenas de manifestantes acompanham a operação da Polícia Militar para retirar os indígenas que ocupam o prédio do antigo Museu do Índio, ao lado do estádio do Maracanã.

Aos gritos de "assassinos!", e com os seios de fora, a mulher invadiu a pista e chegou a ser atingida por um carro, mas não se feriu. Logo em seguida, ela foi detida por PMs do Batalhão de Choque.

Houve outros momento de tensão entre manifestantes e policiais. O advogado Arão da Providência Araújo Filho, índio guajajara, foi detido. Segundo os policiais, ele teria tentado pular o muro para entrar. Ele chegou a ser imobilizado e deitado no chão. Os manifestantes gritavam palavras de ordem como "Não à violência" e outra em que lembravam que havia dinheiro para a Copa, mas não para habitação.

Tudo o que sabemos sobre:
desocupaçãomuseu do índioRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.