Índios do Alto Xingu iniciam montagem de aldeia

A casa dos povos indígenas durante a conferência Rio+20 começou a tomar forma na tarde de ontem pelas mãos de 21 guerreiros da nação Kaiamurá, do Alto Xingu, em Mato Grosso. A aldeia Kari-Oca, sede do encontro de povos nativos de todo o mundo, está sendo erguida no campus da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Jacarepaguá, zona oeste do Rio. No terreno, de 7 mil m2, os guerreiros trabalham para levantar duas ocas de debates, alojamentos e uma tenda tecnológica, de onde as discussões serão transmitidas via internet para povos indígenas dos EUA ao Japão.

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2012 | 03h03

A oca construída sediará encontros e debates sobre temas como alimentação, mudanças climáticas, energia limpa, erradicação da pobreza e economia verde. No total, cerca de 1.200 índios circularão pelos espaços. Eles vão preparar um documento que será entregue aos representantes da ONU. Cada guerreiro irá receber cerca de R$ 900 pelo trabalho de construção da aldeia. O orçamento do projeto é de R$ 1 milhão, mas os recursos ainda não foram liberados pelo governo federal. / ANTONIO PITA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.