Índios ficam feridos após ataque a ônibus em MS

Ataque ocorreu na noite de sexta-feira dentro da Aldeia Curuçá, em Miranda (MS), mas o fato só foi revelado nesta segunda

João Naves de Oliveira / CAMPO GRANDE, O Estado de S.Paulo

06 Junho 2011 | 13h45

Um coquetel molotov explodiu no para-brisa de um ônibus escolar, ferindo seis índios e o condutor do coletivo. O ataque ocorreu na noite de sexta-feira, 3, dentro da Aldeia Curuçá, em Miranda (MS), mas o fato só foi revelado nesta segunda, 6.

 

O delegado de Bodoquena, Tiago Macedo dos Santos, disse que já ouviu algumas testemunhas. Segundo ele, ainda não há suspeitos sendo investigados, porque "as vítimas declararam que não notaram a presença de qualquer pessoa atacando o ônibus".

 

O condutor do coletivo, Laércio Xavier Correia, de 27 anos, foi o mais atingido, com queimaduras no rosto, tronco e membros. Ele foi transferido para a Santa Casa de Campo Grande, juntamente com os índios Rosana de Oliveira Martins, 29, Lurdinave Pires, 28, e Edson Felipe Leite, 16, que também tiveram ferimentos graves.

 

No Hospital de Miranda estão internados Eliezér Gregório Ferreira, 16, e Maiára Francisco Vitor, 18. Elinete Simplício, 15, também atendida em Miranda, recebeu alta hoje. Eles disseram que, "desesperados", ajudaram as pessoas que tentavam sair de dentro do ônibus, quebrando as janelas com pedras.

Mais conteúdo sobre:
índios ataque ônibus MS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.