Índios mantêm 6 funcionários da Vale como reféns no Maranhão

Seis funcionários da mineradora Vale foram feitos reféns por indígenas do Povo Guajajara durante protesto no interior do Maranhão, causando o bloqueio temporário a uma das principais ferrovias utilizadas pela companhia, informou a empresa nesta quinta-feira.

REUTERS

10 de fevereiro de 2011 | 16h47

Segundo a Vale, os funcionários são mantidos reféns há mais de 20 horas. A empresa informou que o tráfego na ferrovia que atende à mina de Carajás foi retomado no início da noite de quarta-feira.

"Eles foram capturados durante a invasão dos indígenas à Estrada de Ferro Carajás (EFC), na altura de Alto Alegre do Pindaré, impedindo o tráfego dos trens", informou a Vale em comunicado.

"A Vale repudia quaisquer manifestações violentas, que coloquem em risco seus empregados, suas operações e que firam o estado democrático de direito."

De acordo com a companhia, as reivindicações dos índios que levaram ao protesto não têm ligação direta com a mineradora.

Protestos do mesmo grupo indígena, que vive na Terra Indígena Caru, bloquearam o acesso à mesma ferrovia durante 10 horas em fevereiro de 2010.

(Reportagem de Brian Ellsworth)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALINDIOSVALE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.