Índios permanecem na sede da Funasa, em SP

Os cerca de 100 índios que invadiram a sede da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) no centro de São Paulo na tarde de ontem permaneciam no prédio hoje. De acordo com a assessoria do órgão, mesmo com a presença dos índios, os funcionários estavam trabalhando normalmente. Os índios aguardavam a presença do coordenador da Funasa, Raze Rezek, para uma reunião, que havia sido marcada ontem.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agencia Estado

06 de maio de 2009 | 10h26

Os indígenas atribuem a Rezek a responsabilidade pela piora nos serviços de atendimento médico e de saneamento que estaria ocorrendo nas aldeias do Estado. Logo após a invasão, os índios determinaram o encerramento do expediente e mantiveram cinco diretores como reféns. Os funcionários só foram libertados às 19h30, quando Rezek chegou à sede da entidade.

Tudo o que sabemos sobre:
índiosFunasaocupação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.