Índios são suspeitos de canibalismo no Amazonas, diz polícia

A polícia do Amazonas está investigando três índios acusados de matarem um deficiente físico de 21 anos e comerem parte do seu corpo, num raro caso de canibalismo, disseram autoridades na terça-feira. Os índios da tribo Kulina, que vive perto da fronteira com o Peru, são acusados de terem matado e comido as vísceras do estudante Océlio Alves de Carvalho, no município de Envira (AM). "O corpo foi esquartejado e então retalhado com mais de cem cortes - achamos que eles comeram as vísceras", disse à Reuters o sargento da PM Osmildo Ferreira da Silva, de Envira. Os três índios, moradores da reserva Aldeia do Cacau, aparentemente se gabaram diante de parentes de terem comido o coração e o fígado de Carvalho, segundo Ferreira. O policial acrescentou que um suspeito foi ouvido, mas que ninguém foi preso. Os kulina não praticam o canibalismo, e a polícia suspeita que os três índios acusados estivessem bêbados ou drogados. "O alcoolismo é disseminado entre os índios de toda a região", disse o agente da Polícia Federal Pablo Souza, em Manaus. "Isso não é usual na região, parece um caso isolado de homicídio." Há cerca de 1 milhão de índios no Brasil, e suas terras representam cerca de 12 por cento do território nacional. (Reportagem de Raymond Colitt)

REUTERS

10 de fevereiro de 2009 | 20h36

Tudo o que sabemos sobre:
GERALCANIBAISINDIOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.