Inflação em SP arrefece a 0,61% no início do mês

A inflação ao consumidor em São Paulo desacelerou no início deste mês, deixando para trás a maioria das pressões sazonais do começo de ano e o reajuste da tarifa do ônibus. Os alimentos, no entanto, continuaram aumentando.

REUTERS

09 de março de 2010 | 07h12

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,61 por cento na primeira quadrissemana de março, ante alta de 0,74 por cento no mês fechado de fevereiro, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta terça-feira.

Os preços de Alimentação tiveram a maior alta na abertura deste mês, de 1,20 por cento, após aumento de 1 por cento na leitura anterior. O clima quente e chuvoso desta época do ano prejudica a colheita de produtos in natura, e o açúcar também está apresentando fortes elevações.

Os custos de Educação aumentaram 0,16 por cento na primeira quadrissemana de março, após avanço de 0,21 por cento em fevereiro. Devido ao reajuste no início do ano letivo, esse item costuma impactar fortemente a inflação em janeiro, arrefecendo a partir de fevereiro.

Os preços de Transportes --que mostraram o mesmo movimento do grupo anterior, devido em grande parte ao aumento da tarifa de ônibus urbano-- arrefeceram a alta para 0,44 por cento nesta leitura, contra 1,14 por cento na anterior.

Veja abaixo a variação de preços dos principais grupos de produtos e serviços:

O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo de famílias com renda até 20 salários mínimos.

(Para mais informações sobre indicadores de inflação, consultar as páginas e))

(Reportagem de Vanessa Stelzer)

Tudo o que sabemos sobre:
INFLACAOFIPEPRIMEIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.