Inflação em SP tem leve desaceleração, a 0,23%

A inflação ao consumidor em São Paulo iniciou o mês com ligeiro arrefecimento, já que menores altas de saúde e quedas de transportes, vestuário e educação foram contrabalançadas por pressões de alimentos, habitação e despesas pessoais.

REUTERS

11 de outubro de 2011 | 07h25

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,23 por cento na primeira quadrissemana de outubro, ante alta de 0,25 por cento no mês de setembro, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta terça-feira.

Os custos do grupo Alimentação aceleraram o avanço, de 0,37 para 0,39 por cento, enquanto os de Habitação passaram de elevação de 0,17 para 0,28 por cento. Os preços de Despesas Pessoais também subiram em ritmo maior, em 0,31 por cento na primeira quadrissemana, comparado a 0,15 por cento em setembro.

Os preços de Transportes, por outro lado, tiveram oscilação negativa de 0,01 por cento nesta leitura, após alta de 0,06 por cento antes. Os de Vestuário declinaram 0,29 por cento, contra avanço de 0,64 por cento, enquanto os de Educação registraram variação negativa de 0,02 por cento, após aumento anterior de 0,05 por cento.

Os custos de Saúde diminuíram a alta, de 0,61 para 0,51 por cento.

(Reportagem de Vanessa Stelzer)

Mais conteúdo sobre:
INFLACAOFIPEATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.