Inflação pelo IGP-M abre novembro com alta de 0,80%

Resultado é superior à mediana das expectativas; no mesmo período de outubro, índice do aluguel subiu 0,55%

Reuters e Agência Estado,

10 Novembro 2008 | 08h16

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) abriu o mês de novembro com alta de 0,80%, ante avanço de 0,55% no mesmo período de outubro, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta segunda-feira. No fechamento do mês passado, o IGP-M registrou alta de 0,98%. O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE-Projeções, que esperavam um resultado entre 0,49% e 1%, e foi superior à mediana das expectativas (0,75%).   Veja também: Perigo maior em 2009 é de deflação, diz Mantega Inflação não ficará no centro da meta em 2009, dizem analistas IPCA acelera mais que o esperado e sobe 0,45% em outubro Entenda os principais índices   O resultado acumulado do IGP-M é muito usado como índice de reajuste nos contratos de aluguel. Até a primeira prévia de novembro, o indicador acumula elevações de 10,4% no ano e de 12,34% em 12 meses. O período de coleta de preços para cálculo da primeira prévia do IGP-M de novembro foi do dia 21 a 31 de outubro. Entre os componentes do IGP-M, o Índice de Preços por Atacado (IPA) avançou 1% na primeira leitura de novembro, ante alta de 0,71% no mesmo período de outubro. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve ganho de 0,22%, depois de ter recuado 0,08% na abertura do mês passado. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou valorização de 0,70%, abaixo da alta de 0,97% no mesmo período de outubro.   Atacado   Os preços dos produtos agrícolas no atacado caíram 1,04% na primeira prévia de novembro do IGP-M, após registrarem avanço de 0,25% na primeira prévia de outubro do mesmo índice. A FGV informou ainda que os preços dos produtos industriais no atacado tiveram aumento de 1,74% na primeira prévia, após apresentarem alta de 0,87% na primeira prévia de outubro.   Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços das matérias-primas brutas apresentaram taxa positiva de 1,04% na primeira prévia, em comparação com a alta de 1,20% apresentada em igual prévia no mês passado.   Na avaliação de preços por produtos, as mais expressivas elevações de preços no atacado, foram registradas em minério de ferro (19,29%); adubos e fertilizantes compostos (8,17%); e intermediários para resinas e fibras (16,20%).   Varejo   Das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice, três apresentaram elevações de preços mais intensas, ou fim de deflação de preços, na passagem da primeira prévia de outubro para igual prévia em novembro. É o caso de Alimentação (de -0,87% para 0,12%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,10% para 0,43%); e Educação, Leitura e Recreação (de -0,08% para 0,26%).   Na análise da movimentação de preços por produtos, as elevações mais significativas no varejo, no âmbito da primeira prévia do IGP-M de novembro, foram registradas em mamão da Amazônia - papaya (12,47%); alcatra (6,48%); e limão (10,55%).   IPC-S   Em outro relatório, a FGV informou que o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) teve alta de 0,58% na primeira leitura de novembro, ante ganho de 0,47% no fechamento de outubro. "Este foi o maior resultado desde a terceira semana de julho de 2008, quando o índice registrou variação de 0,67 por cento", afirmou a FGV em nota.

Mais conteúdo sobre:
INFLACAO IGPM NOVEMBRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.