Inflação pelo IPCA-15 desacelera mais que esperado por educação

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) desacelerou mais que o esperado em março, refletindo uma queda nos custos de educação e uma desaceleração da alta dos alimentos.

REUTERS

25 de março de 2009 | 09h14

O indicador subiu 0,11 por cento neste mês, abaixo da alta de 0,63 por cento em fevereiro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira.

A mediana e a média de projeções de 20 analistas ouvidos pela Reuters apontavam uma taxa de 0,27 por cento. As estimativas variaram de 0,19 a 0,30 por cento. Os preços de Educação caíram 0,43 por neste mês, depois de subirem 4,95 por cento no anterior. Os de Alimentos avançaram 0,21 por cento, ante elevação anterior de 0,44 por cento.

O IPCA-15 é tido como uma prévia do IPCA, o índice que serve de referência para a meta de inflação do governo.

A metodologia de cálculo é a mesma, apurando a variação de preços para famílias com renda de até 40 salários mínimos em 11 regiões metropolitanas do país.

A diferença está no período de coleta, já que o IPCA mede o mês calendário.

(Por Vanessa Stelzer)

Mais conteúdo sobre:
IBGEIPCAQUINZEMARCO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.