Inflação pelo IPCA desacelera menos que o esperado

A inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) desacelerou em junho, mas em ritmo um pouco inferior ao esperado pelo mercado.

REUTERS

08 Julho 2009 | 09h30

O arrefecimento deveu-se a menores altas nos custos de remédios, cigarros e a uma menor pressão de tarifas como energia e água e esgoto.

O indicador avançou 0,36 por cento em junho, após subir 0,47 por cento em maio, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira.

Analistas consultados pela Reuters esperavam avanço de 0,31 por cento, segundo a mediana das previsões de 25 instituições financeiras, que variaram de 0,28 a 0,34 por cento.

Os núcleos do índice também desaceleraram. O IBGE não calcula os núcleos, mas a LCA Consultores informou que a média dos três --por exclusão e por médias aparadas com e sem suavização-- foi de alta de 0,33 por cento em junho, ante 0,46 por cento em maio.

GRUPOS

Os preços do grupo Habitação avançaram 0,27 por cento em junho, após subirem 0,72 por cento em maio, "em função da menor incidência de reajustes na taxa de água e esgoto, aluguel residencial e energia elétrica", disse o IBGE em nota.

Os custos de Saúde e cuidados pessoais tiveram avanço de 0,49 por cento em junho, contra 0,68 por cento em maio, refletindo um menor impacto dos reajustes dos remédios.

O grupo Despesas pessoais teve elevação de preços de 0,49 por cento no mês passado ante 1,57 por cento no anterior. A desaceleração reflete a queda de 0,28 por cento dos cigarros em junho após a alta de 9,21 por cento em maio, e o menor aumento de custos de empregado doméstico, de 0,80 por cento ante 1,35 por cento.

Mostrando que o setor está em período de liquidações, os preços de Vestuário desaceleraram a alta para 0,53 por cento em junho, contra 1,16 por cento em maio.

Por outro lado, os preços de Alimentação e Bebidas tiveram aumento de 0,70 por cento no mês passado, acima da variação de 0,44 por cento no anterior.

O destaque nesse grupo foi o leite pasteurizado, que está em período de entressafra e teve a maior contribuição individual de alta para o IPCA do mês, de 0,14 ponto percentual.

Os custos de Transportes voltaram a subir, em 0,02 por cento, após caírem 0,18 por cento em maio.

No primeiro semestre, o IPCA acumula alta de 2,57 por cento, abaixo da elevação de 3,64 por cento de igual período de 2008.

Nos últimos doze meses, o índice subiu 4,80 por cento, resultado também abaixo do doze meses anteriores, de 5,20 por cento.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; Texto de Vanessa Stelzer)

Mais conteúdo sobre:
IBGEIPCAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.