Infraero afasta servidor que filmava mulheres em Belém

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) vai abrir processo administrativo contra o chefe do setor de Tecnologia da Informação do órgão lotado no Aeroporto Internacional de Belém, Gilberto Araújo da Silva, que foi preso nesta segunda-feira, 31 em flagrante pela Polícia Federal quando filmava embaixo das saias de mulheres no momento em que elas estavam na escada rolante.

CARLOS MENDES, Agência Estado

31 Março 2014 | 19h21

No momento da prisão ele tinha um tablet que seria utilizado nas filmagens. O que está gravado será analisado pela polícia e poderá servir de prova contra o funcionário. Silva posicionava-se atrás das vítimas e manipulava o tablet para obter imagens das partes íntimas das mulheres. A Infraero anunciou que ele foi afastado do serviço e será ouvido pela corregedoria durante a sindicância aberta para apurar sua conduta.

A denúncia chegou ao conhecimento da administração da Infraero por intermédio de funcionárias que se sentiam incomodadas pelo comportamento frequente de Silva. Uma delas, pedindo para não ser identificada, contou que o acusado agia há muito tempo e sempre do mesmo modo: esperava mulheres subirem na escada rolante para em seguida posicionar o tablet com uma das mãos abaixo do joelho e obter imagens das partes íntimas.

Depois das gravações, ele voltava para sua sala de trabalho com a maior naturalidade, relatou outra servidora do aeroporto. De acordo com a polícia, o crime é de importunação ostensiva ao pudor e, pelo que diz o código penal, de menor potencial ofensivo. Foi por este motivo que o funcionário foi liberado após prestar depoimento.

Mais conteúdo sobre:
Infraeroafastamentoservidor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.