Infraero operará aeroportos 6 meses após assinatura de concessão

Mesmo depois da assinatura do contrato de concessão dos aeroportos leiloados em fevereiro, a Infraero - estatal que atualmente administra os terminais de Guarulhos, Campinas (SP) e Brasília e que será sócia minoritária das concessões - ficará por um prazo mínimo de seis meses ainda atuando na operação desses aeroportos.

REUTERS

09 Março 2012 | 12h16

O objetivo, segundo a diretora de regulação e concorrência da aviação civil da Secretaria de Aviação Civil, Martha Seillier, é garantir uma "transição suave" para a iniciativa privada.

"O operador vencedor precisa mudar e conversar com a Infraero... (a Infraero) vai atuar como operadora também", disse a jornalistas em evento sobre a concessão de aeroportos, em São Paulo.

Para o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, a operadora que faz parte do grupo vencedor é a sul-africana Airport Company South Africa (Acsa), enquanto em Brasília é a argentina Corporación América.

Já no aeroporto de Viracopos, em Campinas, o operador do consócio vencedor é a francesa Egis Airport Operation.

A diretora afirmou ainda que a Secretaria de Aviação Civil vê como "normal" o questionamento da Odrebrecht sobre o resultado do leilão de Viracopos, vencido pelo Consórcio Aeroportos Brasil, que alem da empresa francesa tem as brasileiras Triunfo Participações e UTC Participações entre as participantes.

"É um processo normal e esperado, que agora é competência da agencia (Agência Nacional de Aviação Civil)", disse Martha.

Caso a Anac decida pela validade do recurso da Odebrecht, "o que virá a seguir está previsto no edital", disse.

Entretanto, caso o consórcio Aeroportos Brasil seja confirmado vencedor, a homologação do resultado de Viracopos e dos outros aeroportos será em 20 de marco, com assinatura do contrato em 4 de maio.

(Reportagem de Carolina Marcondes; Edição de Leonardo Goy)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.