Inglaterra proibirá cigarros eletrônicos para menores de 18 anos

A Inglaterra anunciou neste domingo que irá banir a venda de cigarros eletrônicos para menores de 18 anos, citando possíveis efeitos na saúde e enfatizando a necessidade de mais pesquisas médicas sobre o produto.

Reuters

26 de janeiro de 2014 | 16h57

Os e-cigarrettes, que parecem cigarros regulares mas contém nicotina em um líquido que é vaporizado, sem queima de tabaco, ampliaram sua popularidade e alguns analistas preveem que podem superar a venda de cigarros convencionais em uma década.

"Ainda não sabemos se os e-cigarettes fazem mal a adultos, muito menos crianças, mas sabemos que existem riscos", disse a chefe do escritório de medicina britânico, Sally Davies, em comunicado.

Ela acrescentou que e-cigarettes podem produzir substâncias químicas tóxicas e que as variações na força das soluções de nicotina entre diferentes produtos significam que eles podem acabar sendo "extremamente arriscados" para a saúde de jovens.

Estima-se que o mercado global de e-cigarettes tenha movimentado mais de 2 bilhões de dólares no ano passado, segundo a consultoria Euromonitor.

Os menores de 18 anos já não podem comprar cigarros convencionais na Inglaterra.

(Por William James)

Mais conteúdo sobre:
CIGARROSSAUDEINGLATERRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.