Inovações do 'Estado' agradam a leitores

Eles elogiam a organização, a tipografia e o destaque para imagens e infográficos

, O Estadao de S.Paulo

15 de março de 2010 | 00h00

Diferença. José Ricardo Temitocles, que lê o "Estadão" há 30 anos, gostou das mudanças no projeto gráfico: "Está mais limpo"

O domingo começou diferente nas bancas de São Paulo. Começou com um jornal mais elegante e dinâmico exposto nas prateleiras: o novo Estado surpreendeu positivamente os leitores. O terapeuta Fábio Novo, de 45 anos e leitor do jornal há 28, costuma ir a uma padaria de Perdizes para o café da manhã. Lá, Novo também lê o jornal que compra em uma banca próxima. "Ficou mais organizado, com a informação bem disposta em cronologias, quadros."

Era a intenção da reforma gráfica que o Estado estreou ontem: organizar melhor a informação para o leitor e, assim, facilitar a compreensão do conteúdo. O movimento é de renovação tanto do jornal impresso como na internet - o estadão.com.br foi reformulado com o mesmo objetivo (leia mais nesta página). No papel, foi adotada uma nova tipografia, criada exclusivamente para o Estado, e as informações foram distribuídas em peças mais bem definidas para facilitar a identificação do gênero.

O lavador de carros José Ricardo Temitocles notou já pela capa a diferença. Morador da Vila Formosa, na zona leste, ele compra o Estado todos os domingos. "Leio inteiro há 30 anos." Para Temitocles, o jornal ficou mais "limpo". "A letra é agradável e o espaço entre as informações ficou ideal." A enfermeira Elizabete Rodrigues, de 39 anos, também compra os jornais nos fins de semana. Ela lia o jornal ontem em um café nos Jardins. "As chamadas da capa estão mais objetivas e o jornal, com mais ilustrações. Ficou mais gostoso de ler."

Mesmo quem não é leitor há tantos anos notou a diferença. É o caso da administradora Valquiria Yasbek, de 40 anos. Ela compra o jornal aos domingos para checar os classificados de imóveis. "E prefiro o Estado, que oferece mais variedade", diz. Ao ver o novo projeto, teve mais vontade de ler as matérias. "A arte ficou agradável e deram destaque para as fotos."

Enquanto espera passageiros em seu ponto em Santana, o taxista Amauri Ramos lê jornais. Cada dia um diferente. Ontem, ele aprovou a mudança gráfica e elogiou as matérias do Estado. "Prefiro quando há histórias que vão além do que ocorreu na véspera, como essa entrevista com o Pelé", diz, mostrando o Esportes.

Esporte é mesmo um assunto que atrai. A artista plástica Cláudia Gelpi, de 41 anos, foi a uma banca do Jardim Europa com o filho Antonio, de 11. Acostumado a ver o jornal desde que nasceu, ele logo apontou as mudanças: "Olha o Esportes, mãe! Está diferente, mais bonito, mais colorido!" Após a leitura, Cláudia aprovou: "Não saiu da tradição, mas ficou mais leve. Ficou apetitoso, dá mais vontade de ler."

Usando uma analogia com a moda, a chef de cozinha Mirene Reis, declarou: "Uma pessoa pode se vestir de forma clássica, mas com adornos que chamem a atenção para ela. É assim que vejo o novo Estadão." Ela foi a uma banca no Jardim Europa às 12 horas de ontem e se surpreendeu com o que viu. "Quero ler até a última linha", disse. Para a decoradora Yomar Luchini, de 60 anos, o novo jornal ficou "elegante". "Os cadernos ficaram mais bonitos, com cabeçalhos em cores primárias, o que é um elemento de bom gosto", diz.

O Estado buscou essas características de elegância no que há de mais moderno no mundo. E os leitores percebem a referência. A professora de inglês Rosalice Silva Pessoa, de 33 anos, mora em Barra Mansa (RJ) e compra o Estado nos fins de semana. Durante um passeio na Avenida Paulista, ela opinou: "O novo layout me lembrou o dos jornais ingleses e americanos, que costumo acompanhar pela internet." Não é só na forma. O conteúdo também tem mais sofisticação. "O que também me chama a atenção são os articulistas."

Tiragem de 502 mil mostra confiança no projeto

O Estado saiu ontem com uma tiragem de 502 mil exemplares, a maior dos últimos anos. "É um sinal de confiança no projeto", diz Roberto Gazzi, editor-chefe do Estado. Foram feitas ações de "experimentação" em todo o País. "Fomos a parques, shoppings e restaurantes", diz João Carlos Rosas, diretor de Marketing e Mercado Leitor do Grupo Estado.

REPERCUSSÃO

Lygia Fagundes Telles escritora

"Gostei muito do caderno Sabático, que traz um novo visual, mais leve, mas que não

compromete a densidade do texto."

Luiz Schwarcz Cia. das Letras

"Gostei muito do conteúdo, das crônicas e das resenhas do Sabático. Tenho só algumas críticas para a parte gráfica. Não gostei da tipologia das capitulares e dos títulos."

Henrique Meirelles presidente do BC

"A nova apresentação gráfica mostra um jornal moderno, que soube, em seus 135 anos, manter-se sintonizado com os leitores e com a sociedade."{TEXT}

Marco Aurélio Mello ministro do STF

"Logo de início, a atenção é despertada pela primeira página. A virtude maior está em suscitar o interesse do cidadão para o que é veiculado."

José Serra governador de SP

"Este jornal tem sabido lutar pela liberdade de imprensa e exercê-la ao longo dos seus 135 anos. As mudanças o tornam ainda mais acessível aos leitores atuais e futuros."

Gilberto Kassab prefeito de SP

"O redesenho do Estadão ficou excelente. Oferece maior conforto visual e leveza. Tanto em sua capa quanto em seu conteúdo interno o jornal está mais próximo do leitor."

Marina Silva senadora (PV-AC)

"Com a seção Planeta, o jornal revela sua sintonia com uma das questões mais relevantes da pós-modernidade ao destacar o tema da sustentabilidade em sua pauta."

Tarso Genro ex-ministro da Justiça

"O novo projeto gráfico deixa o jornal mais atraente. A distribuição das matérias nas páginas e a estética geral tornam a leitura mais fácil e agradável."

Aloizio Mercadante senador (PT-SP)

"Gostaria de parabenizar a equipe que criou o novo projeto gráfico pelo jornal de leitura mais agradável, leve e acessível."

Fernando Gabeira deputado federal (PV-RJ)

"O redesenho foi uma reforma importantíssima que tornou o jornal mais fácil de ler. A mudança também foi bem-sucedida no portal."

Alexandre Gama Neogama BBH

"O projeto tem personalidade editorial até na escolha da cor azul como identificação gráfica. Fiquei com a impressão que agora temos "o azul do Estadão."

Mayana Zatz geneticista

"Sou leitora assídua do Estado há muitos anos e acho que o jornal deu um salto qualitativo. Está de parabéns. Está mais chamativo, ilustrado e organizado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.