Inseticida pode até dobrar risco de leucemia, diz estudo

A aplicação de xampus à base de piretrina para tratar piolho ou o uso de inseticidas em casa podem dobrar as chances de uma criança desenvolver leucemia, de acordo com um estudo do Instituto Francês para Pesquisa Médica (Inserm). O trabalho, publicado nesta terça-feira pela revista médica Occupational and Environmental Medicine Journal e liderado por Florence Menegaux, descobriu que o uso de inseticidas é perigoso durante a gravidez ou a infância."As descobertas desse estudo reforçam a hipótese já indicada pela literatura especializada de que a exposição a pesticidas de uso caseiro pode ter um papel na leucemia aguda infantil", afirmou Menegaux.As conclusões foram baseadas no estudo de 568 crianças, das quais 280 tinham leucemia aguda e outras 288, do mesmo sexo e mesma faixa etária, eram saudáveis. Os pais das crianças responderam questionários sobre a sua ocupação e sobre o uso de pesticidas no jardim e dentro de casa.Polêmica Os médicos relacionaram o uso prolongado de inseticidas de jardim a um aumento de 2,4 vezes nos riscos, enquanto os de uso caseiro provocaram um aumento de 2,5."A consistência dos nossos resultados e dos resultados de estudos anteriores indica que pode ser oportuno considerar medidas preventivas", afirmou a chefe da equipe de cientistas, que, no entanto, não considera o estudo prova definitiva da relação entre câncer e inseticidas.O representante do Fundo Britânico de Pesquisa sobre Leucemia,Ken Campbell, apontou dois problemas na pesquisa francesa: "o número de casos estudado é pequeno e além disso, a pesquisa depende da memória dos pais, que é notoriamente imprecisa".Para ele, a pesquisa não é prova de que haja a relação entre pesticidas e leucemia em crianças.

Agencia Estado,

17 de janeiro de 2006 | 14h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.