Efe
Efe

Inspetores da AIEA se preparam para voltar à Coreia do Norte

País afirmou que suspenderia testes nucleares como parte de acordo com EUA

FREDRIK DAHL, REUTERS

05 Março 2012 | 13h59

VIENA - A agência nuclear da ONU está se preparando para um possível retorno para a Coreia do Norte três anos após seus inspetores terem sido expulsos do país, mas ainda não está em contato direto com o governo norte-coreano, disse o chefe da agência nesta segunda-feira, 5.

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, afirmou que precisava de esclarecimento sobre um acordo para suspender partes importantes do programa de armas nucleares que o país asiático e Washington anunciaram na semana passada.

"Nós ainda não temos um convite da Coreia do Norte", disse o veterano diplomata japonês em entrevista coletiva.

No anúncio da semana passada, a Coreia do Norte afirmou que suspenderia os testes nucleares, o lançamento de mísseis de longa distância e o enriquecimento de urânio em sua usina nuclear de Yongbyon e que permitiria a visita de inspetores internacionais.

O anúncio foi parte de um acordo com os Estados Unidos que pode permitir a eventual retomada das negociações de desarmamento nuclear interrompidas em 2008. Em troca, os Estados Unidos prometeram voltar com a ajuda alimentícia para o país isolado e empobrecido.

Ainda não está claro quanto espaço a AIEA terá para as inspeções. A Coreia do Norte limitou o acesso da agência nas duas ocasiões anteriores em que os inspetores tiveram permissão para entrar.

Amano afirmou que "consultas intensas" eram necessárias com Pyongyang e não descartou enviar uma missão de alto escalão da agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) para a nação com esse propósito.

"Tomamos conhecimento do resultado das negociações entre EUA e Coreia do Norte na semana passada. Estamos agora tentando esclarecer o que foi acertado", disse ele. "Não temos contato direto com eles, mas estamos nos preparando para um possível retorno a Yongbyon."

Segundo Amano, o trabalho preparatório, incluindo identificar o que os inspetores fariam na Coreia do Norte, pode levar "um tempo significativo".

Assim que isso for feito e a expedição de inspetores for aprovada pelo conselho diretor de 35 nações da AIEA, eles poderão ir dentro de algumas semanas, acrescentou.

Analistas alertaram que a Coreia do Norte voltou atrás em acordos passados, mas observaram que a decisão recente marca uma forte mudança de curso no país depois da morte em dezembro do veterano Kim Jong-il, pai do novo líder Kim Jong-un.

Mais conteúdo sobre:
COREIAN AIEA RETORNO Irã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.