Instituições públicas lideram exame da OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou ontem a lista das instituições com maior porcentual de alunos de Direito aprovados no 6.º Exame de Ordem Unificado. Das 20 instituições que mais aprovaram, 19 delas são públicas. A única particular da lista é a Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro (FGV-RJ), que ficou na décima colocação.

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2012 | 03h07

O melhor rendimento foi o da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), no Estado de Minas Gerais. Dos 102 alunos que fizeram a prova por essa instituição, 88 foram aprovados, o que corresponde a 86,27%. Logo atrás da instituição mineira figuram a Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e a Fundação Universidade Federal de Viçosa (UFV), com 84,48% e 80% de aprovação, respectivamente.

Entre as 20, há 3 universidades paulistas, sendo que a mais bem classificada delas - a Universidade de São Paulo (USP), campus Ribeirão - está na oitava posição, com 77,27% de aprovação. O campus de São Paulo da USP é o 12.º da lista (73,02%) e a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) é a 16.ª (70,41%).

Os porcentuais são bem altos se comparados ao resultado geral desse 6.º Exame de Ordem: do total de 101.936 inscritos, foram aprovados apenas 25.912 candidatos, um índice de aprovação de 25,4%.

Exame. Todo bacharel de Direito precisa ser aprovado no Exame de Ordem para poder exercer a profissão de advogado.

A prova é dividida em duas fases. A primeira fase é composta de 80 questões de múltipla escolha. Quem acertar o mínimo de 40 questões passa para a segunda fase. Na segunda fase, o candidato precisa redigir uma peça processual e responder a quatro questões que compreendem as seguintes áreas de opção do bacharel, indicada no momento da inscrição: Direito Administrativo, Direito Civil, Direito Constitucional, Direito do Trabalho, Direito Empresarial, Direito Penal ou Direito Tributário.

Ainda neste ano, acontecerão outras três edições da prova. A inscrição custa R$ 200 e o candidato que não é aprovado pode fazer o exame seguinte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.