Instituto erra nome de cidade chinesa em lista dos mais poluídos

O instituto norte-americano que divulgouna quarta-feira a lista dos lugares mais poluídos do mundoaparentemente confundiu a cidade chinesa de Tianjin, de 10milhões de habitantes, com a cidade portuária de Tianying,notória pelo processamento de chumbo, que fica no leste dopaís. A metrópole chinesa de Tianjin foi alvo de atenção mundialao aparecer na lista do Instituto Blacksmith, com sede em NovaYork, como um dos lugares mais poluídos do mundo, devido aoprocessamento de chumbo.Uma legenda no site do instituto dizia que "Tianjin tem asprincipais base de produção de chumbo da China, contribuindopara a contaminação pelo chumbo e vários transtornos e doençasem crianças". O próprio anúncio do instituto referia-se a "Tianjin, naprovíncia de Anhui", ressaltando que 140 mil pessoas eramafetadas pela poluição. O Instituto Blacksmith divulgou umacorreção oficial na quinta-feira, dizendo que se trata deTianying, a 750 quilômetros de Tianjin. Apesar do erro, a cidade de Tianjin não estava seesforçando muito para esclarecer as coisas. Os telefonemas parao gabinete do porta-voz da cidade não estavam sendo atendidosnesta quinta-feira. Cerca de 460 mil chineses morrem prematuramente por anodevido à poluição ambiental, estima o Banco Mundial. O país jáprometeu cortar os poluentes industriais em 10 por cento entre2006 e 2010, mas no ano passado não conseguiu atingir a metaanual. Embora não faça parte da lista dos dez mais, Tianjin tambémtem uma poluição razoável. Linfen, na província de Shanxi,outra integrante do ranking, certamente possui um dos pioresares do planeta para se respirar. O processamento de chumbo é comum em cidades menores, maispara o interior da China, que é mais pobre. Tianying afirmaestar promovendo a limpeza ambiental. Mas uma reportagem da agência oficial Xinhua em 2006 disseque Jieshou, que engloba Tianying, continua processando 160 miltoneladas de chumbo por ano, a maioria de pilhas usadas. Dos lugares mais poluídos, apenas um ficava na AméricaLatina: La Oroya, no Peru, uma região de mineração comcontaminação por metais pesados. (Reportagem adicional de Timothy Gardner em Nova York)

REUTERS

13 de setembro de 2007 | 15h50

Tudo o que sabemos sobre:
AMBIENTEERROPOLUICAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.