Instituto Italiano ganhará restauro e anexo de Fuksas

Respeitado internacionalmente, arquiteto de Roma vai assinar seu primeiro projeto na América Latina, orçado em R$ 10 milhões

Edison Veiga,

02 Junho 2011 | 04h49

Será em São Paulo a primeira obra no Brasil do famoso arquiteto italiano Massimiliano Fuksas. Com a construção prevista para ser iniciada no fim deste ano, um moderno anexo do Instituto Italiano de Cultura de São Paulo (IICSP), na Avenida Higienópolis, vai abrigar restaurante, teatro, duas galerias e centro multimídia. "Trata-se de uma ideia que temos desde 2005, quando o instituto passou a ocupar o atual endereço", conta o diretor adjunto da entidade, Claudio D’Agostini. Anteriormente, o imóvel era ocupado pelo Consulado Italiano.

Fuksas não esconde a empolgação em assinar uma obra no País. "A ampliação é um dos projetos mais excitantes da minha vida", afirma. "Sempre achei que este País, por sua tradição cultural e de planejamento urbano, seria o lugar perfeito para meu primeiro projeto na América Latina."

O valor total da obra ainda não foi fechado, mas a estimativa é que sejam investidos cerca de R$ 10 milhões. Além da construção do anexo, a fachada do histórico prédio deverá ser restaurada - o imóvel faz parte de um conjunto de prédios em processo de tombamento nas esferas estadual (pelo Condephaat, o órgão de proteção ao patrimônio histórico) e municipal (pelo Conpresp, responsável pelo patrimônio da capital).

"A ampliação do instituto pretende criar comunicação e harmonia com a realidade pré-existente, mantendo viva a casa neoclássica que foi preservada por restrições arquitetônicas, uma vez que é considerada patrimônio cultural de São Paulo", explica Fuksas. "A fachada do edifício na Avenida Higienópolis, a qual abriga o escritório administrativo, permanece intacta e, nos fundos, a nova expansão cresce separadamente, mas em continuidade com aquela existente."

Obras. A adequação do projeto aos moldes brasileiros ficará a cargo do arquiteto Gian Carlo Gasperini, do escritório paulistano Aflalo & Gasperini. A execução do projeto será capitaneada pela organização social Museu a Céu Aberto. "Contrataremos os fornecedores, arrumaremos patrocinadores e entregaremos a obra", explica Paulo Solano, diretor-presidente da entidade.

O primeiro patrocinador, aliás, já está acertado - trata-se do Grupo Comolatti, fundado há 50 anos por um imigrante italiano. "Pela nossa origem italiana, é motivo de grande orgulho patrocinar o projeto", diz Sergio Comolatti, presidente da empresa. "Igualmente importante é que se trata de uma casa de divulgação da história, das artes, da gastronomia, da língua e da cultura italiana de forma geral." O grupo bancará 40% do valor total.

Ano da Itália. Intencionalmente, o início das obras deverá coincidir com o Momento Itália Brasil, programa acertado entre os dois governos que prevê, entre outubro deste ano e junho de 2012, a realização de cerca de 400 eventos em 18 Estados brasileiros. Segundo a organização Museu a Céu Aberto, a previsão é que o restauro e a construção do anexo sejam concluídos 24 meses após o pontapé inicial.

QUEM É

O arquiteto italiano Massimiliano Fuksas nasceu em Roma em 1944 e se formou na Universidade La Sapienza em 1970. Entre suas principais obras estão a Universidade de Brest (França), o Ginásio de Paliano (Itália), o Centro Comercial Europark (Áustria) e o Centro de Pesquisas da Ferrari (Itália). Atualmente, ele mantém escritórios em Roma e Paris.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.