Instituto 'rebaixa' previsão para temporada de furacões

A temporada deve trazer 14 tempestades dignas de nome, das quais seis se tornarão furacões

REUTERS

24 Julho 2007 | 19h34

A temporada de furacões de 2007 no Atlântico Norte pode ser menos severa devido às águas mais frias do que o previsto na parte tropical do oceano, disse na terça-feira o instituto de meteorologia privado WSI Corp. A temporada deve trazer 14 tempestades dignas de nome, das quais seis se tornarão furacões e três se tornarão furacões sérios, segundo a nova previsão da WSI, que anteriormente previa 15 tempestades, com oito furacões, sendo quatro grandes. "Uma vez que as temperaturas dos oceanos ainda não se recuperaram da queda significativa no final da primavera [boreal], decidimos reduzir ligeiramente nossos números de previsão", disse o meteorologista Todd Crawford. Os setores de energia e seguros acompanham atentamente a temporada de furacões de 2007, depois de registrarem danos recordes provocados há dois anos, quando os furacões Katrina e Rita devastaram parte do litoral sul dos EUA e paralisaram temporariamente um quarto da produção de petróleo e combustível do país, fazendo o preço da energia bater recordes. A WSI Crawford acrescentou que as condições dos ventos devido à falta do fenômeno El Niño são menos favoráveis à formação de tempestades tropicais. Apesar da previsão revista para baixo, a WSI antevê que a temporada de 2007 será mais ativa que a do ano passado, e acrescentou que pode haver áreas atingidas nas partes mais vulneráveis do litoral norte-americano do golfo do México. "Sentimos que a ameaça geral ao oeste do golfo está reduzida ligeiramente, com um correspondente aumento na ameaça ao leste do golfo e à Flórida", disse Crawford. (Por Rebekah Kebede)

Mais conteúdo sobre:
clima furacão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.