Instituto tecnológico europeu quer competir com o MIT

Entre os temas de pesquisa estão mudança climática e fontes de energia limpa

Agencia Estado

26 de junho de 2007 | 17h22

Um Instituto Europeu de Tecnologia (IET), que tentará competir com os Estados Unidos na busca por inovações, terá um orçamento inicial de 308,7 milhões de euros (US$ 415,5 milhões), segundo decisão tomada na segunda-feira por ministros de Ciência e Tecnologia da União Européia (UE).Com isso, os 27 países do bloco dão seu apoio político a uma instituição que é vista como uma possível resposta do Velho Mundo ao renomado Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).Mas a proposta inicial foi substituída por um plano mais modesto, para interligar em rede universidades e institutos privados de pesquisa já existentes, os quais poderiam oferecer a "etiqueta IET" em seus cursos.Os ministros decidiram que o IET poderia começar com dois ou três projetos de pesquisa a partir de 2009, provavelmente incluindo temas como mudança climática e energia renovável.Ministros disseram que a verba inicial deve vir do atual orçamento da UE, o que pode provocar um confronto com o Parlamento Europeu, onde muitos deputados querem verbas novas para evitar que outros projetos fiquem à míngua.Os Estados da UE e o Parlamento Europeu terão a última palavra sobre o plano do IET, de autoria da Comissão Européia.O Reino Unido não conseguiu reduzir o orçamento inicial para 200 milhões de euros nem adiar o apoio político ao projeto até que sejam resolvidos os detalhes das verbas."Acho que uma cifra clara é importante aqui se for para mobilizarmos verbas do setor privado na Europa", disse Anneta Schavan, ministra de Pesquisa da Alemanha, que preside a UE neste semestre.

Tudo o que sabemos sobre:
EITMIT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.