Instituto vai pesquisar vacina contra HPV em SP

São Paulo acaba de ganhar um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia que ficará responsável por criar tratamentos exclusivos para o HPV, doença sexualmente transmissível que mais acomete a população (20% dos casos). Com investimento de R$ 7,2 milhões, a principal missão será facilitar o acesso à vacina feminina contra a DST - que hoje custa no mínimo R$ 400 - além de incentivar a implantação da primeira versão masculina da imunização do vírus. ?Mais do que estudos para reduzir o custo da vacina, nós vamos criar mecanismos que definam as melhores formas de levar as doses para a população?, afirma a professora da Faculdade da Santa Casa Luisa Lina Villa, coordenadora do novo Instituto (criado com recursos do Ministério de Ciência e Tecnologia e da Fapesp). ?Precisamos definir o público alvo e estratégias de vacinação. Uma das idéias é aplicar as doses em escolas, para meninas entre 9 e 16 anos.? O HPV pode provocar câncer de colo de útero nas mulheres, um dos mais letais. Já a vacina anti-HPV masculina ainda não existe no mercado, mas um estudo realizado pela Merck, divulgado mês passado, mostrou que a mesma composição feminina preveniu 86% das lesões em homens. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.