Intel treinará Universidades em chips multi-core no Brasil

A Intel iniciou um programa de cooperação com universidades para que pesquisadores brasileiros possam criar aplicativos para os chips com vários núcleos da empresa.No Brasil, são três universidades participando do programa (45 no total em todo o mundo), que receberão materiais educacionais, treinamento no local e colaboração sustentável para incorporar os conceitos de múltiplos núcleos e múltiplas tarefas em seus currículos de ciências da computação. Até o fim do ano, a Intel espera que mais de 75% de seus principais processadores para servidores, desktops e notebooks sejam fabricados como chips de núcleo duplo e com expectativa para quatro, oito ou inúmeros núcleos em um futuro próximo. Na chamada tecnologia ´multi-core´, os chips recebem mais de um núcleo de processamento ativo, que permitem ao componente executar tarefas diferentes em paralelo. Isso aumenta a performance dos chips na comparação com chips de núcleo simples, nos mesmos patamares de velocidade, e ainda permite melhorias na execução de tarefas simultâneas.No Brasil, o Instituto de Computação da UNICAMP, em Campinas, e o Instituto de Informática da UFRGS, em Porto Alegre, desenvolverão esse ano o currículo para tecnologia multi-core. Já o Laboratório de Sistemas Integráveis da USP, em São Paulo, e o Laboratório Nacional de Computação Científica, em Petrópolis, desenvolverão projetos de Pesquisa & Desenvolvimento em multi-core.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.