Internet é hostil a Belarus, diz presidente Lukashenko

O presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, disse que a Internet está cheia de sites hostis ao país e que uma lei é necessária para acabar com a "anarquia", informou a agência de notícias BelTA nesta quinta-feira. "É hora de parar a anarquia na Internet. Não podemos permitir que este grande avanço tecnológico do homem seja transformado em uma lixeira de informações", afirmou Lukashenko a repórteres em uma coletiva para a imprensa local. Lukashenko, criticado pelo Ocidente por seu punho de ferro no comando da ex-república soviética, disse: "(A Internet ) é um alto-falante de massas, que nem mesmo é da oposição, mas é um alto-falante de vozes hostis a nós, (que vêm) de Estados hostis", disse ele, que não citou quais seriam esses países. O líder disse que esses sites devem ser submetidos a leis semelhantes às que vigem sobre pornografia e difamação. Os Estados Unidos classificam Belarus como a "última ditadura da Europa" e a União Européia financiou a criação de rádios independentes, destinadas ao público de Belarus, que podem ser ouvidas na Internet. Sites de oposição no país também se tornaram mais populares desde que o presidente apertou o cerco contra a imprensa independente. "Há liberdade mais que suficiente em Belarus hoje e não menos do que em outros países", disse o presidente. O Partido Comunista, de oposição, disse que suas atividades na rede foram suspensas por não terem preenchido formulários do Ministério da Justiça. REUTERS AS MS

REUTERS

02 Agosto 2007 | 16h58

Mais conteúdo sobre:
MUNDO TECH NET BELARUS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.