IPC-Fipe sobe 0,33% em maio, alimentos param de cair

Despesas Pessoais e Saúde diminuem alta e contrabalanceam, em parte, fim da deflação em outros grupos

Reuters,

02 Junho 2009 | 07h44

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo acelerou apenas ligeiramente em maio. Os custos de Habitação e Alimentação deixaram as quedas para trás, mas foram contrabalançados pelos de Despesas Pessoais e Saúde, que diminuíram o ritmo de alta.

 

Veja também:

linkEntenda os principais índices 

 

O indicador subiu 0,33% no mês passado, ante alta de 0,31% em abril, informou a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) nesta terça-feira. Analistas consultados pela Reuters esperavam taxa de 0,30% para maio, de acordo com a mediana de 18 estimativas que variaram de 0,27 a 0,35%.

 

Os preços do grupo Alimentação tiveram variação positiva de 0,07% em maio, após caírem 0,26% em abril. Os de Habitação subiram 0,19%, seguindo a queda anterior de 0,04%.

 

Os custos de Despesas Pessoais, que estão refletindo o reajuste dos cigarros, tiveram elevação de 1,68%, abaixo do avanço de 1,92% de abril.

 

Os preços de Saúde, impactados pelo reajuste dos remédios, apresentaram alta de 0,75% em maio, ante 1,86% em abril.

 

O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo de famílias com renda até 20 salários mínimos.

Mais conteúdo sobre:
InflaçãoIPC-Fipe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.