Irã alivia restrições à participação de mulheres em eventos esportivos

O Irã retirou parcialmente a proibição da participação de mulheres em eventos esportivos masculinos, disse o vice-ministro dos esportes neste sábado, dias depois de um tribunal ter absolvido uma mulher com cidadania britânica e iraniana que havia sido presa por protestar contra a lei.

REUTERS

04 Abril 2015 | 11h38

A lei islâmica do Irã proíbe mulheres de assistir a homens praticando esportes. Em janeiro, o governo disse que permitiria que as mulheres estrangeiras assistissem aos jogos masculinos, mas as iranianas ainda estavam proibidas de fazê-lo.

A nova política para mulheres e famílias vai entrar em vigor durante este ano iraniano, disse Abdolhamid Ahmadi, citado pela agência estatal de notícias Irna. O ano calendário iraniano termina em março de 2016.

No entanto, Ahmadi disse que algumas partidas permaneceriam proibidas.

"É claro que, em algumas áreas do esporte famílias não estão interessadas em participar nem há a possibilidade de assistirem", disse.

Na semana passada, a Corte de Apelações absolveu Ghoncheh Ghavami, uma cidadã iraniano-britânica que tinha sido presa em junho do lado de fora de um estádio, onde ela e outras pessoas demandavam que as mulheres fossem autorizadas a assistir a uma partida de voleibol masculino.

(Por Sam Wilkin)

Mais conteúdo sobre:
IRA MULHERES PROIBICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.